Demonstração de competências – REACTIVAR (12, 13 e 21 de junho de 2018)

Posted ago by administrador

No cumprimento do Plano Anual de Atividades, e tal como vem sendo hábito na formação REACTIVAR, os formandos realizaram a sua demonstração de competência perante os seus colegas.

Por incompatibilidade de horários, as demonstrações foram divididas por 3 dias. Assim, no dia 12 de junho, as turmas 109 (Técnico de Informática – Instalação e Gestão de Redes) e 110 (Técnico de refrigeração e Climatização) mostraram aos colegas um pouco daquilo que aprenderam ao longo da sua formação como, por exemplo, operações de traçagem e de soldadura em chapas metálicas, no caso da 110; ou clipagem de tomada de rede RJ45 numa calha e configuração de uma rede local em 6 postos de trabalho, no caso da turma 109.

No dia seguinte, dia 13 de junho, foi a vez da turma 108 (Técnico de Cozinha/ Pastelaria) revelar um pouco dos seus segredos culinários, sendo possível observar a confeção, entre outros, de petit gatêau, crepes e sushi.

Finalmente, no dia 21 de junho os formandos da turma de Marceneiro (111) mostraram aos colegas diversas peças por eles realizadas ao longo deste ano e meio de formação, como bancos grandes e pequenos, mesas e camas, bem como os respetivos desenhos técnicos.

Em todas as turmas foram também exibidos alguns dos trabalhos realizados na componente de formação de base.

As turmas, sem exceção, mostraram-se empenhadas e bem preparadas, sendo momentos de agradável convívio entre formandos e formadores, o que ajuda a fortalecer o espírito de grupo e capacidade de entreajuda.

Economia para o Sucesso (22 de junho de 2018)

Posted ago by administrador

No âmbito do Plano Anual de Atividades, a Turma A4, Curso de Técnico de Produção Agropecuária, Nível 4, acompanhados pelo professor Jorge Fernandes, realizou no dia 22 de junho de 2018, uma ação intitulada “Economia para o Sucesso”, dada pelo Dr. Fábio Santos da StartUp de Angra do Heroísmo.

A ação começou com uma apresentação do programa “Economia para o Sucesso”, em que foi referido que este visa fornecer informação básica sobre finanças pessoais e sobre a importância de identificar objetivos de educação e carreira baseados em interesses, valores e qualidades dos alunos.

De seguida, foi realizada uma atividade, em que o objetivo era a apresentação de todos os participantes. Assim, a pares, foram elaboradas e respondidas questões diversas com o intuito de todos se ficarem a conhecer melhor, ao mesmo tempo que foi explorado e trabalhado o conceito e importância do Networking.

Após a realização desta atividade foram debatidas temáticas como o empreendedorismo, a criação de emprego, a criação de riqueza, a realização pessoal e profissional de cada um.

A par do exposto, foi ainda feita referência a tipos de investimentos, formas de financiamento, apoio à instalação de novas empresas, programas de apoio, como seja o PRORURAL+.

Foi uma ação de grande interesse pedagógico, sendo importante aos alunos perceber que é possível e importante ser-se empreendedor nesta área profissional e de que forma podem iniciar, ou melhorar as suas empresas, originando riqueza e realização pessoal e profissional.

Visita à Feira Açores 2018 (15 de junho de 2018)

Posted ago by administrador

Os alunos da turma A4, Curso de Técnico de Produção Agropecuária, acompanhados pelo seu Diretor de Curso/Turma e professor da componente técnica do curso, professor Jorge Fernandes, realizaram no passado dia 15 de junho de 2018, uma visita de estudo à Feira Açores 2018.

Esta visita teve como objetivos visualizar técnicas e equipamentos inerentes ao setor agropecuário, promover o espírito empreendedor e crítico nos alunos no que respeita à criação e riqueza e à preservação do meio ambiente e dos seus recursos.

A visita iniciou-se pelo parque de máquinas e alfaias agrícolas. Os alunos puderam visualizar equipamentos modernos destinados ao trabalho agrícola e não só. São equipamentos essenciais a maximizar o rendimento dos empresários agrícolas, diminuindo grandemente o esforço e a necessidade em mão-de-obra, o que lhes trará certamente mais rendimento.

De seguida, tiveram a oportunidade de visitar o stand expositivo do setor pecuário. Espaço amplo, com todas as condições para o bem-estar animal, bem como para quem dos animais cuida durante os dias em decorre o certame.

Nesta secção foi possível observar as várias raças expostas e animais a concurso, desde da componente leiteira até ao gado de corte.

A par do acima referido, ainda foi possível acompanhar várias tarefas ligadas ao maneio geral dos animais, desde a preparação dos animais a concurso até à preparação e administração das dietas alimentares, passando por todos os processos de limpeza dos espaços.

Ainda foi possível visitar outros stands da feira, tais como os do setor agrícola, bem como da componente florestal.

Ao longo da visita era notório o cuidado que os tratadores tinham com os animais, de forma a provocar nestes o mínimo de stress possível.

Foi evidente o grande interesse por parte dos alunos, já que além de ser uma excelente forma destes conhecerem o que de melhor se faz neste setor, também puderam acompanhar colegas seus que estavam a participar nas atividades da feira, nomeadamente a nível dos diversos concursos com animais que decorreram.

Foi uma visita de grande interesse pedagógico, sendo importante aos alunos conhecer o que melhor se faz no setor agropecuário a nível local, regional e nacional.

Estações da Visita à Quinta (maio de 2018)

Posted ago by administrador
Trabalho efetuado por João Sousa da Turma A4 (Técnico de Produção Agropecuária)

Durante o mês de maio, foram realizadas visitas de estudo das turmas do primeiro ano à Quinta Pedagógica da Escola, nomeadamente as turmas B4, C4 e D4, sendo esta visita guiada pela turma A4. Cada turma visitou a Quinta em dias diferentes.

Após chegar, a turma era dividida em seis grupos e eram distribuídos pelas seis estações das diferentes atividades que são realizadas na Quinta, nomeadamente: a compostagem, a elaboração de viveiros, a jardinagem, a variante vegetal, a pecuária e a mecanização.

Na estação da compostagem foi explicado como se pode realizar um composto orgânico, a separação de materiais que deve ser feita entre os decompositores, o período de tempo que é necessário para se originar um bom composto e, também, quais são os nutrientes e os benefícios que a compostagem fornece à terra.

Na estação da elaboração de viveiros, que foi apresentada na estufa de vidro, foi explicada a diferença entre viveiros em tabuleiros e viveiros em canteiros, como é elaborado um viveiro em tabuleiro, sendo esta parte explicada através de uma demonstração prática, as alturas em que devem ser feitos os viveiros, tanto no tabuleiro como no viveiro, foi explicada a influência das marés e das fases da lua nas sementeiras, quais são as melhores marés e  as melhores fases da lua para a sementeira de determinados tipos de culturas, quais são os cuidados a ter com um viveiro (regas, limpeza das ervas daninhas) e, também, foram explicadas quais as características dos plantios que indicam que estão prontos para o transplante para o local definitivo.

Na estação da jardinagem foram explicados os cuidados a ter com um jardim, nomeadamente: limpeza de abrigos, a poda de árvores frutíferas e florícolas, a limpeza de canteiros decorativos, a manutenção de relvados, a manutenção da lagoa artificial, os cuidados a ter com plantas aromáticas e foram demonstradas as ferramentas e as máquinas que são utilizadas nesta estação.

Na estação da variante vegetal foi explicado, nas estufas e nas hortas, o processo de produção de hortícolas e de outras culturas. Constatou-se que se inicia com o transplante das plantas que estavam nos viveiros para as hortas ou para dentro das estufas, dependendo da altura do ano e do tipo que estamos a transplantar, sendo as principais culturas cultivadas as seguintes: batatas, cebolas, alho-francês, tomates, abóboras, alfaces, curgetes, repolhos, couves e feijão, todos utilizados para o abastecimento da escola e alimentação dos alunos. Foi referido que, após o transplante das culturas, existem inúmeros cuidados a ter com as mesmas: a instalação de sistemas de regas para ser mais fácil o fornecimento de água, a limpeza de infestantes/ervas daninhas e fertilização das culturas (com a utilização dos adubos que fornecem os nutrientes dos quais as culturas têm mais necessidade, sendo os principais o azoto, o fósforo e o potássio), a utilização dos produtos fitofármacos, tanto com o fim de fertilização, como de combate a pragas ou a doenças, referindo sempre o material utilizado (pulverizadores) e o equipamento de segurança necessário para realizar estas atividades (luvas, máscara, fato de macaco, botas). Explicou-se, também, que certas culturas precisam de cuidados especiais, para além dos que já foram referidos, como por exemplo, a cultura do tomate, que tem de se realizar o desladroamento, que consiste em retirar partes da planta que são prejudiciais ao seu desenvolvimento. Após estes cuidados e após a planta atingir um ciclo vegetativo completo e o fruto atingir a fase de maturação, estes são recolhidos, preparados, embalados e enviados para a escola.

Na estação da pecuária foi abordado o assunto da criação de animais, nomeadamente caprinos, galinhas, coelhos e pombos, sendo estes os que estão presentes na quinta pedagógica. São explicados os cuidados a ter com a limpeza das camas e das suas casas, a sua alimentação, referindo as dosagens e os tipos de alimentos fornecidos, que podem ser restos vegetais ou então à base de rações, a mudança dos animais das jaulas para as pequenas pastagens, a separação dos animais quanto às raças e quanto à idade. Foram, também, explicadas as finalidades destes animais e o lucro que podem gerar.

Na estação da mecanização foi demonstrado o funcionamento do trator agrícola e as suas alfaias de preparação dos solos para as sementeiras e para os transplantes das culturas, que são a presa, a charrua de aivecas, a charrua de discos, o arado, o escarificador, a grade de dentes, os rolos de lisos e dentados. Foram explicadas quais as suas utilidades, as suas vantagens e desvantagens, as épocas e as situações em que devem ser utilizadas, referindo também as manutenções que devem ser feitas antes (verificação de parafusos, de travões e de níveis de combustível), durante (regulação das alfaias) e depois (lavagens, reparações e lubrificações) da sua utilização.

Com esta atividade foi possível ver que as turmas B4, C4 e D4 demonstraram gosto, interesse e uma boa postura na visita, tendo também a turma A4 demonstrado empenho em mostrar que também possui um papel importante no funcionamento da escola e que o curso de técnico de agropecuária é um bom curso. Foi, também, uma forma dos alunos exporem algumas realidades da sua área e alguns objetivos que querem atingir com este curso, através das entrevistas que foram feitas pelos alunos visitantes.

Projeto “Mude o futuro da migração: Investir na segurança alimentar e no desenvolvimento rural” (6 e 7 de junho de 2018)

Posted ago by administrador

No âmbito do Plano Anual de Atividades, a Turma A4, Curso de Técnico de Produção Agropecuária, Nível 4, acompanhados pelos respetivos professores, realizou nos dias 6 e 7 de junho de 2018, o Projeto Interdisciplinar “Mude o futuro da migração: Investir na segurança alimentar e no desenvolvimento rural”. Este projeto teve como objetivos conhecer e valorizar o espaço rural (freguesia da Ilha Terceira), planear atividades interdisciplinares (colocando-as em prática) que envolvam todas as disciplinas do curso.

As atividades iniciaram-se com uma apresentação por parte do Eng. Hélder Xavier, que explicou a freguesia do Raminho nas suas várias vertentes, social, cultural e agrícola. Sempre teve o cuidado de interagir com os alunos de forma a criar um ambiente dinâmico de aprendizagem.

Foi uma apresentação em contexto de sala de aula, onde as restantes turmas tiveram a oportunidade de visitar, ouvindo uma explicação feita pelos alunos da turma. Houve espaço para perguntas, sugestões e notou-se bastante interesse pelo trabalho realizado.

A par disto, também a restante comunidade educativa foi convidada a ver e a assistir às apresentações.

Foi uma ação de grande interesse pedagógico, sendo importante aos alunos perceber que é possível e importante preservar e desenvolver as zonas rurais, pois apresentam potencialidades, necessitando de espírito empreendedor e alguma capacidade de investimento por parte dos mais jovens.

Jantar de Finalistas do Programa REATIVAR (30 de maio de 2018)

Posted ago by administrador

Pela primeira vez, os formandos ao abrigo do programa REATIVAR puderam este ano contar um Jantar de Finalistas para marcar o final da sua formação nesta Escola, um percurso que se iniciou em abril de 2017 e terminará em setembro deste ano.

Assim, no dia 30 de maio, a maioria dos formandos das turmas 108 (Técnico de Cozinha/Pastelaria), 109 (Técnico de Informática – Instalação e Gestão de Redes), 110 (Técnico de Refrigeração e Climatização) e 111 (Marceneiro) vestiram-se a rigor e reuniram-se no espaço do refeitório da Escola onde lhes foi servido um excelente jantar confecionado pelos chefes Raúl Sousa, Luís Coelho e José Oliveira, acompanhados pela turma C4 – Técnico de Cozinha/ Pastelaria. Parte da decoração das mesas esteve a cargo da turma 111.

No final da refeição, a turma 110 havia preparado um pequeno momento de diversão, onde entre rimas e brincadeiras, presenteou professores, funcionários e direção da escola com os seus “Globos de Cobre”, elaborados por eles próprios nas aulas de UFCD e personalizados para cada um dos vencedores. Foi realmente um momento muito divertido da noite, que proporcionou genuínas gargalhadas e convívio saudável entre todos.

A Coordenação do REATIVAR ofereceu a todos os formandos uma pequena lembrança, que todos agradeceram. Tratou-se de uma noite agradável, divertida, onde todos puderam conviver e conversar, um momento “para mais tarde recordar”.

Um Dia Na Outra Escola (9 de abril a 10 de maio de 2018)

Posted ago by administrador

Um Dia Na Outra Escola é uma iniciativa que, pelo sucesso que tem tido desde a sua primeira edição, se repetiu este ano no sentido de continuar a criar uma cultura de ensino profissional, promovendo socialmente as modalidades educativas e formativas, ministradas na Escola Profissional da Praia da Vitória, que conferem uma dupla certificação para o nível 4, equivalente ao ensino secundário.

Através de demonstrações técnicas específicas, realizadas pelos alunos dos diferentes cursos lecionados na EPPV, foi divulgada a oferta formativa para o próximo ano letivo, entre os dias 9 de abril e 10 de maio.

Este ano, esta ação contou com a presença de 22 turmas, abrangendo um total de 449 alunos do 9º ano (ensino regular) ou de percursos profissionalizantes com equivalência ao 9º ano de escolaridade e 70 docentes das escolas Básica e Integrada de Angra do Heroísmo, Básica e Integrada dos Biscoitos, Básica e Integrada Francisco Ferreira Drummond, Básica e Integrada Tomás de Borba, Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade e Básica Integrada Francisco Ornelas da Câmara. É também de salientar o envolvimento dos nossos alunos na realização das simulações práticas, o aperfeiçoamento das suas competências técnicas e profissionais, quer em termos de apresentações orais quer nas práticas simuladas da sua área de formação direcionadas aos visitantes.

 

Visitas de estudo à Quinta Pedagógica (maio de 2018)

Posted ago by administrador

Durante o mês de maio, no âmbito do estudo do módulo 1.2 Ambiente, da disciplina de Área de Integração, os alunos das turmas B4, Curso Técnico de Multimédia, C4 – Curso Técnico de Cozinha-Pastelaria e D4 – Curso Técnico de Processamento e Controlo de Qualidade Alimentar, realizaram visitas de estudo à Quinta Pedagógica da Escola.

As visitas começaram com a partilha, pelo professor Jorge Fernandes, de algumas curiosidades acerca da Quinta Pedagógica da Escola e da zona envolvente. Os alunos, divididos em grupos, passaram por seis estações, onde estavam os seus anfitriões do Curso Técnico de Agropecuária, que lhes foram dando todas as informações e esclarecendo dúvidas sobre os vários temas em análise: viveiros, jardinagem, mecânica agrícola, horticultura, animais da quinta e compostagem.

Estas atividades foram muito gratificantes para os alunos, uma vez que, para além das questões técnicas e científicas abordadas no âmbito do trabalho desenvolvido nas disciplinas de Área de Integração e Produção Agrícola, também permitiram desenvolver competências a nível pessoal e social, nomeadamente realizar atividades de forma autónoma e em equipa e pensar de forma inovadora, descobrindo e explorando oportunidades.

 

PAPs da R3 (8 a 10 de maio de 2018)

Posted ago by administrador

Nos passados dias 8, 9 e 10 de maio, realizaram-se as Provas de Aptidão Profissional do Curso Técnico de Restauração (variante Cozinha-Pastelaria), nível 4, na Cozinha Pedagógica da nossa Escola.

Sob a observação do professor orientador, chef Raul Sousa, e dos Júris Externos, chef Márcio Silva e chef Paulo Lourenço, os alunos da R3 tiveram que mostrar as suas competências adquiridas ao longo dos seus três anos de formação.

Os temas das PAPs foram variados: cozinha tradicional açoriana – São Miguel e Pico, grelhados, queijadas, massa folhada, pastelaria individual, chá, pastelaria de autor, veganismo, dia de São Valentim – jantar romântico, celíacos, intolerância à lactose, bacalhau, ananás e Skills. E os resultados foram estes:

Jantar de Finalistas (11 de maio de 2018)

Posted ago by administrador

Decorreu, no passado dia 11 de maio, na Escola Profissional da Praia da Vitória, o Jantar de Finalistas do ciclo de formação 2015-2018, abrangendo as turmas Q3 – Curso de Técnico de Instalações Elétricas, R3 – Curso de Técnico de Restauração (variante Cozinha/Pastelaria) e S3 – Curso de Técnico de Restauração (variante Restaurante/Bar), do nível 4.

O jantar foi confecionado pelos chefs Luís Coelho, José Oliveira e Raul Sousa, contando com a colaboração da turma C4 – Curso de Técnico de Cozinha/Pastelaria (1ºano). A ementa incluiu, como entrada, camarão asiático, como prato principal, espetada de filé de novilho com ananás e, para sobremesa, mousse de Malibu com cremoso de pistacho. Quanto ao serviço, este ficou a cargo da turma V3 – Curso de Técnico de Restaurante-Bar.

O evento promoveu o convívio entre alunos, professores e funcionários e assinalou o final do percurso académico das turmas do nível 4. Trajados a rigor, os alunos deram um exemplo de participação adequada e responsável, contribuindo para o ambiente de alegria e descontração.