Estações da Visita à Quinta (maio de 2018)

Trabalho efetuado por João Sousa da Turma A4 (Técnico de Produção Agropecuária)

Durante o mês de maio, foram realizadas visitas de estudo das turmas do primeiro ano à Quinta Pedagógica da Escola, nomeadamente as turmas B4, C4 e D4, sendo esta visita guiada pela turma A4. Cada turma visitou a Quinta em dias diferentes.

Após chegar, a turma era dividida em seis grupos e eram distribuídos pelas seis estações das diferentes atividades que são realizadas na Quinta, nomeadamente: a compostagem, a elaboração de viveiros, a jardinagem, a variante vegetal, a pecuária e a mecanização.

Na estação da compostagem foi explicado como se pode realizar um composto orgânico, a separação de materiais que deve ser feita entre os decompositores, o período de tempo que é necessário para se originar um bom composto e, também, quais são os nutrientes e os benefícios que a compostagem fornece à terra.

Na estação da elaboração de viveiros, que foi apresentada na estufa de vidro, foi explicada a diferença entre viveiros em tabuleiros e viveiros em canteiros, como é elaborado um viveiro em tabuleiro, sendo esta parte explicada através de uma demonstração prática, as alturas em que devem ser feitos os viveiros, tanto no tabuleiro como no viveiro, foi explicada a influência das marés e das fases da lua nas sementeiras, quais são as melhores marés e  as melhores fases da lua para a sementeira de determinados tipos de culturas, quais são os cuidados a ter com um viveiro (regas, limpeza das ervas daninhas) e, também, foram explicadas quais as características dos plantios que indicam que estão prontos para o transplante para o local definitivo.

Na estação da jardinagem foram explicados os cuidados a ter com um jardim, nomeadamente: limpeza de abrigos, a poda de árvores frutíferas e florícolas, a limpeza de canteiros decorativos, a manutenção de relvados, a manutenção da lagoa artificial, os cuidados a ter com plantas aromáticas e foram demonstradas as ferramentas e as máquinas que são utilizadas nesta estação.

Na estação da variante vegetal foi explicado, nas estufas e nas hortas, o processo de produção de hortícolas e de outras culturas. Constatou-se que se inicia com o transplante das plantas que estavam nos viveiros para as hortas ou para dentro das estufas, dependendo da altura do ano e do tipo que estamos a transplantar, sendo as principais culturas cultivadas as seguintes: batatas, cebolas, alho-francês, tomates, abóboras, alfaces, curgetes, repolhos, couves e feijão, todos utilizados para o abastecimento da escola e alimentação dos alunos. Foi referido que, após o transplante das culturas, existem inúmeros cuidados a ter com as mesmas: a instalação de sistemas de regas para ser mais fácil o fornecimento de água, a limpeza de infestantes/ervas daninhas e fertilização das culturas (com a utilização dos adubos que fornecem os nutrientes dos quais as culturas têm mais necessidade, sendo os principais o azoto, o fósforo e o potássio), a utilização dos produtos fitofármacos, tanto com o fim de fertilização, como de combate a pragas ou a doenças, referindo sempre o material utilizado (pulverizadores) e o equipamento de segurança necessário para realizar estas atividades (luvas, máscara, fato de macaco, botas). Explicou-se, também, que certas culturas precisam de cuidados especiais, para além dos que já foram referidos, como por exemplo, a cultura do tomate, que tem de se realizar o desladroamento, que consiste em retirar partes da planta que são prejudiciais ao seu desenvolvimento. Após estes cuidados e após a planta atingir um ciclo vegetativo completo e o fruto atingir a fase de maturação, estes são recolhidos, preparados, embalados e enviados para a escola.

Na estação da pecuária foi abordado o assunto da criação de animais, nomeadamente caprinos, galinhas, coelhos e pombos, sendo estes os que estão presentes na quinta pedagógica. São explicados os cuidados a ter com a limpeza das camas e das suas casas, a sua alimentação, referindo as dosagens e os tipos de alimentos fornecidos, que podem ser restos vegetais ou então à base de rações, a mudança dos animais das jaulas para as pequenas pastagens, a separação dos animais quanto às raças e quanto à idade. Foram, também, explicadas as finalidades destes animais e o lucro que podem gerar.

Na estação da mecanização foi demonstrado o funcionamento do trator agrícola e as suas alfaias de preparação dos solos para as sementeiras e para os transplantes das culturas, que são a presa, a charrua de aivecas, a charrua de discos, o arado, o escarificador, a grade de dentes, os rolos de lisos e dentados. Foram explicadas quais as suas utilidades, as suas vantagens e desvantagens, as épocas e as situações em que devem ser utilizadas, referindo também as manutenções que devem ser feitas antes (verificação de parafusos, de travões e de níveis de combustível), durante (regulação das alfaias) e depois (lavagens, reparações e lubrificações) da sua utilização.

Com esta atividade foi possível ver que as turmas B4, C4 e D4 demonstraram gosto, interesse e uma boa postura na visita, tendo também a turma A4 demonstrado empenho em mostrar que também possui um papel importante no funcionamento da escola e que o curso de técnico de agropecuária é um bom curso. Foi, também, uma forma dos alunos exporem algumas realidades da sua área e alguns objetivos que querem atingir com este curso, através das entrevistas que foram feitas pelos alunos visitantes.

This entry was posted in noticias. Bookmark the permalink.